Pompoarismo, a ginástica íntima

Compartilhe esse conto!

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

Pompoarismo, a ginástica íntima

O pompoarismo é uma técnica oriental milenar, praticada por homens e mulheres que buscam a satisfação sexual deles e dos parceiros, com exercícios de contração e relaxamento dos órgãos sexuais. Chegou aqui no Brasil nos anos 1970 e, por décadas, foi um tabu. Até que, nos últimos tempos, a técnica ganhou mais popularidade, principalmente entre as mulheres.

O aumento do prazer sexual

A ginástica íntima traz diversos benefícios para a mulher, a começar pelo aumento do prazer sexual, tanto dela, quanto do parceiro. Afinal, quem disse que malhação é só para enrijecer braços, pernas, abdômen e bumbum? A professora de pompoarismo Regina Racco explica que os exercícios de contração e postura – junto com o uso de acessórios – fortalecem o canal vaginal, o que permite o aumento do prazer.

A pompoarista proporciona e sente muito mais prazer, porque além da musculatura da vagina ficar mais forte, o órgão fica mais sensível e os orgasmos, mais intensos. Bom para a relação na cama… e na vida! Sexo bom não é tudo, mas ajuda.

Benefícios para corpo e mente

Da satisfação na cama vem outros efeitos favoráveis: a melhoria da saúde do corpo e da mente. A técnica, se praticada corretamente e por algum tempo, é uma aliada na prevenção de problemas com a musculatura da pélvis, incontinência urinária, flacidez da vagina, além de diminuir ou até mesmo eliminar a cólica menstrual, e ainda facilita a expulsão do bebê durante o parto normal.

A professora de dança do ventre Lu Riva conheceu o pompoarismo há cinco anos: ‘Resolvi aprender por questão de saúde. Eu sofria de infecção urinária com muita frequência e ouvi dizer que o pompoarismo poderia ser bom para o meu problema. Depois que comecei o treinamento, nunca mais tive crises’, comemora Lu, que gostou tanto da técnica que acabou virando professora de pompoarismo. ‘minhas aulas, mesclo alguns movimentos de consciência pélvica da dança do ventre com os exercícios do pompoarismo’, conta.

Além de sexo com qualidade ser um excelente remédio contra o mau-humor, o bom resultado dá uma injeção de auto-estima, como aconteceu com a vendedora Alessandra Gabriotti, que pratica o pompoarismo há oito anos. ‘A técnica elevou sensivelmente a minha autoestima, passei a me sentir poderosa. Tenho uma vida sexual muito ativa e é incrível ver o prazer que os homens sentem. Um homem que se envolve com uma pompoarista jamais esquece’, garante.

Autoconhecimento

Não é só para o fortalecimento do muscular que servem os exercícios de pompoarismo. “Trata-se de um trabalho que permite à mulher compreender e dominar o canal vaginal’, diz Regina Racco. E se conhecer é essencial para explorar o prazer. ‘A mulher que treina sua vagina se torna uma amante maravilhosa capaz de levar um homem ao delírio’, opina a professora.

De fato, para Lu Riva, as relações sexuais nunca mais foram as mesmas depois que passou a conhecer do que era capaz, graças ao pompoarismo. ‘Hoje, tenho muito mais libido e mais orgasmos durante as minhas relações. É uma sensação indescritível’, conta Lu.

Exercícios – dentro e fora da aula

Na aula da professora Regina Racco são praticadas contrações e posturas consideradas simples. O mais complicado vira dever de casa. “As alunas recebem instruções para que possam treinar também em casa. Os exercícios devem ser feitos diariamente, por no mínimo 30 minutos nos primeiros dois meses. Depois, é possível alternar os dias”, coloca a professora. Entre os acessórios utilizados em aula encontram-se o colar tailandês, para trabalhar a consciência vaginal; bolas tailandesas, para exercitar a parte mais profunda do órgão feminino; vibrador, que permite aprender movimentos de sucção e expulsão; e bolas Ben Wa, para trabalhar força e resistência.

Treinamento para (quase) todas

O treinamento não é agressivo e, a princípio, pode ser praticado por todas. Mas Regina Racco aconselha as futuras adeptas do pompoarismo a procurar um ginecologista antes de dar início às atividades. Regina destaca ainda que suas aulas são procuradas por mulheres de diferentes faixas etárias, mas que em alguns casos podem haver restrições: ‘Mulheres grávidas, por exemplo, só devem treinar se o médico permitir. As virgens podem praticar os exercícios, mas sem o uso de acessórios. Já as idosas precisam ter cuidado com o ressecamento da região’, informa. Alessandra Gabriotti revela que, no início, não foi fácil fazer os exercícios: ‘Nas primeiras aulas, senti dificuldade para controlar cada músculo isoladamente. Mas, com o treinamento, tudo é possível e hoje consigo controlar perfeitamente a musculatura da vagina’, conta Alessandra.

O caminho das pedras

E aí, ficou curiosa e com vontade de aprender a arte do pompoar? Se quiser começar a treinar, siga alguns exercícios indicados pela professora Regina Racco. Antes de dar início aos exercícios, é importante conhecer os músculos que irá treinar. Para isso, ao fazer xixi, interrompa o fluxo urinário, segure um pouco e solte. Os músculos puboccígeos, usados para interromper o fluxo da urina, são os mesmos que você treinará na ginástica íntima. Depois disso, você já pode dar início aos exercícios:

1- Sente-se em uma cadeira (evite as poltronas), com a coluna ligeiramente inclinada para frente, sem causar desconforto. Coloque as mãos nos joelhos e fique com os pés paralelos e ligeiramente separados. Inspire contraindo os músculos da vagina de forma elevatória, como se estivesse puxando algo (contração elevatória). Conte até trinta e relaxe, expirando. Repita esse exercício de três a cinco vezes ou por até cinco minutos.

2- em pé, com os braços ao longo do corpo, mantenha os pés paralelos e ligeiramente separados. Contraia as nádegas e tente uni-las ao máximo que puder. Conte até dez e relaxe. Repita três vezes. Ao contrair o músculo elevador do ânus (mea) conseguirá sentir a vagina contraída.

3- em pé, contraia e relaxe a musculatura da vagina, como se estivesse pulsando, repita 30 pulsações rápidas e relaxe.

Segundo a professora Regina Racco, fazendo esses exercícios diariamente, em uma semana já é possível perceber maior sensibilidade. E então, que tal começar a praticar?

Veja mais posts

Sem categoria

Buquê

São vários